Considerado um dos brinquedos mais antigos do mundo, o ioiô foi uma das principais brincadeiras das crianças – e até adultos – nas décadas de 80 e 90 no Brasil. Tempo vai, tempo vem, em meio a tanta tecnologia, o simples objeto surpreende e volta a ser o queridinho da garotada.

Em Guarulhos, o ioiô ganhou força por meio dos campeonatos que estão sendo realizados pela empresa Fênix. A ação, que envolve crianças de escolas estaduais, municipais e particulares, também abre espaços para a brincadeira em locais públicos, como o Bosque Maia, lago de Vila Galvão e na praça Mamonas Assassinas, no Cecap; reúne nos fins de semana a galera que gosta e quer aprender a manipular o brinquedo.

O diretor comercial da Fênix, Luiz Gonzaga Pontes, explica que há vários motivos para que a empresa voltasse a produzir uma grande quantidade de ioiôs e estimulasse a volta do brinquedo. “Produzimos ioiôs promocionais há dez anos. As crianças não trabalham mais em grupo, não têm motivação para competições sadias. Promovendo as campanhas, as crianças treinam a coordenação motora, aprendem um esporte milenar e, quem sabe, uma futura profissão”, afirma Gonzaga. O retorno do ioiô deu tão certo que cada competição reúne cerca de 50 competidores.

Os irmãos Fauzi e Said ajudam a confirmar a estatística e mostram-se empolgados com a novidade não tão nova. Ainda sem muita prática treinando as primeiras manobras, os menino pediram ao pai que comprasse o ioiô assim que chegaram ao Bosque Maia. “Na escola todo mundo tem um ioiô e haverá um campeonato lá; por isso quisemos o nosso, para irmos treinando”, revela Fauzi.

Os campeões nacionais de eixo fixo pelaFênix, Cássio Carvalho e Levy Giovanini, coordenamas competições e ajudam a criançada a aprender as manobras. Com uma médiade 50 manobras, mais conhecidas, e cercade mil que podem ser executadas pelos maisexperientes, Carvalho diz que para os iniciantesexistem oito exercícios que são básicos: odorminhoco, cachorrinho passeando, meia–volta, catarata, trevo, cachorrinho pulando acerca, balança e voltas e voltas.

Cássio e Levy dizem que reunir os baixinhos para ensiná-los é uma oportunidade única e muito prazerosa. “Tenho muito orgulhoe me sinto um herói para as crianças.Essa iniciativa é legal porque hoje com o ioiô temos a possibilidade de socializar as crianças umas com as outras, tirando-as da frente do computador e do videogame”,declara Carvalho.

Para participar das competições não é necessário inscrição. Basta comparecer nos locais dos campeonatos e ter um ioiô Fênix. Os instrutores ensinam algumas manobras e ganha adisputa quem conseguir manter por mais tempo a manobra“voltas e voltas”. Ainda sem local definido para a grande final, a Fênix fica na cidade até o final de julho. O primeirocolocado de Guarulhos ganhará um notebook e os que conseguirem as outras posições levarão outros prêmios.

Texto: Tamiris Monteiro
Fotos: Rafael Almeida

[nggallery id=6]